17 de julho 2017

Transformação em família

Luc Bouveret
17 julho 2017

Transformação em família

Terapeuta francês teve sua vida modificada quando descobriu que o filho de 13 anos tinha leucemia
Texto por: Livia Deodato

O francês Luc Bouveret chegou ao Brasil em 2008, cheio de disposição e expectativas. Certamente viveu e aprendeu muitas coisas boas, mas não imaginava que por aqui também viveria um de seus piores pesadelos.

Há dois anos, Luc se dedica à cura de seu filho Tancrède, que sofre de mielodisplasia, uma alteração na medula óssea que acabou se transformando em uma leucemia aguda. Com o marido David Arzel e ao outro filho, Elzear, Luc e Tancrède têm lutado diariamente para pôr fim ao sofrimento com amor.

O movimento para encontrar uma medula óssea compatível para Tancrède em abril de 2016 tocou muitas pessoas, inclusive celebridades brasileiras. O jogador de futebol Neymar, a modelo Isabella Fiorentino, entre outras, fizeram apelos públicos para ajudar Tancrède. O Hemocentro da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, que concentra o cadastramento de doações de medulas ósseas na cidade, contabilizou um aumento significativo de interessados: de 20 para 300 pessoas por dia. Pouco menos de três meses depois, Tancrède encontrou um doador compatível.

Infelizmente, isso não bastou para curá-lo totalmente da doença. Tancrède precisa lidar com idas e vindas ao hospital por causa de recaídas. A leucemia parece não dar trégua ao garoto que hoje tem 13 anos. “Há cerca de um ano, eu me segurava para não chorar sobre o leito dele. Quando estava ao seu lado, não conseguia disfarçar a minha tristeza”, relembra Luc. “Isso mudou quando, em um determinado momento, ele me disse: ‘Papai, se vier para ficar comigo desse jeito, eu não vou te amar mais’. E foi aí que eu comecei a me transformar radicalmente.”

Luc e Tancrede

Autoconhecimento

Luc nasceu e cresceu em família rica de Dijon, na França, frequentou os melhores colégios e universidades. Quando chegou ao Brasil, exercia seu trabalho como decorador e antiquário. Pouco tempo depois de chegar ao país, descobriu-se terapeuta holístico. Para isso, precisou encarar todas as suas sombras por meio da meditação e de outros processos de autoconhecimento que desenvolveu. “Por causa de um livro espiritualista que comprei na beira de uma estrada a caminho de Paraty (RJ), percebi que tudo aquilo já estava dentro de mim”, conta.

Passou a meditar de três a quatro horas por dia e, no meio desse processo, deu-se conta de que a coisa que mais importava no mundo era o amor. É por meio desse sentimento que ele acredita que o mundo – e também Tancrède – vai melhorar.

Desenvolveu um curso chamado Managing Mind, que oferece para pessoas e empresas. “Somos capazes de entender o que nos faz feliz e de onde vêm os nossos medos por meio da meditação”, afirma. “Temos todos os poderes para criar tudo o que desejarmos, basta vencermos as armadilhas do nosso ego.”

Em seu trabalho, Luc também usa leitura de aura e terapia quântica. Ele acredita que todo processo de autoconhecimento leva à cura de si mesmo e dos próximos. “Quando vibro transformação em mim e acredito que posso ser melhor, estou também ajudando os outros nessa transformação”, diz.

Desde o nascimento de Tancrède, em San Diego, nos Estados Unidos, por meio de uma barriga de aluguel, Luc vem aprendendo a lidar com as dificuldades que a vida vez ou outra oferece. Tancrède nasceu prematuro e, além de enfrentar o medo de perder o filho, ele ainda teve de tolerar certas hostilidades da equipe hospitalar. Era época da Guerra do Iraque e, como a França havia criticado e estava contra a invasão do país, Luc personificou o inimigo em terras americanas. “Tudo o que me restava era tratar a todos com muita educação e agradecer por tudo o que estavam fazendo pelo meu filho, afinal a vida dele estava nas mãos deles”, relembra. Ao fim de dois meses de internação, o clima adverso que encontrou havia se transformado. E todos se despediram emocionados.

Tem sido assim por onde a família passa. “Toda dor serve para algo. Toda sombra é também luz. Não podemos ter medo de encará-la”, afirma. Luc acredita, no entanto, que o tempo de estada no Brasil está chegando ao fim. O país abriu muitas portas para ele e sua família, mas agora todos se sentem prontos para começar uma vida nova na Espanha, terra natal de David.