07 de agosto 2017

Parentalidade

parentalidade
07 agosto 2017

Parentalidade

Conheça os benefícios de se tornar responsável por crianças
Texto por: Livia Deodato

O termo parentalidade vem sendo bastante usado ultimamente e vai além da função exercida única e exclusivamente pelos pais. Derivação do inglês “parenting”, parentalidade é tudo aquilo que diz respeito ao processo de cuidado, apoio e desenvolvimento físico, emocional, social e intelectual de uma criança, desde a infância até a idade adulta.

O termo se refere a todos os aspectos da formação e educação de uma criança, que não se restringem a relações biológicas. Pessoas que sejam presentes ou estejam comprometidas no desenvolvimento de uma criança, como parentes, amigos e vizinhos, são consideradas adultos de referência na parentalidade.

A parentalidade pode ser desempenhada por todos aqueles que convivem com as crianças no dia a dia e estabelecem vínculos afetivos mais próximos durante os primeiros anos de vida delas. Um bom exemplo de parentalidade é o programa de apadrinhamento afetivo, criado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e disseminado em outras partes do país.

O trabalho consiste em estimular laços de adultos com crianças e adolescentes que vivem em abrigos e têm poucas chances de serem adotadas. Os padrinhos afetivos se encontram com frequência com seu afilhado e passam geralmente o  fim de semana juntos, fazendo programas variados, como ir ao cinema, a um parque, a uma feira.

Estabelecer uma relação parental implica cuidar, estimular, educar, amar, fortalecer a autonomia, impor limites e preparar a criança para os desafios e oportunidades da vida adulta. E isso tudo não necessariamente caberá somente aos pais – biológicos ou adotivos – da criança. Ao conviver com diversos adultos, maior a chance da criança se tornar um adulto saudável e multiplicar seus laços afetivos. Diz um provérbio africano: “it takes a village to raise a child”, isto é, é necessário uma aldeia inteira para criar uma criança.

Responsabilidade

Há quem defenda que a parentalidade ajuda, inclusive, a cumprir um papel de liderança. Luci Lampe, autora do livro “Achieving Sexy” e fundadora do Movimento Sexy Mama, que empodera toda mãe a amar sua vida e seu próprio corpo, escreveu em um artigo no LinkedIn que cuidar de seus filhos a tornou uma profissional mais assertiva. “Tornar-me responsável pela criação de meus filhos me preparou para todo tipo de liderança, coaching e desenvolvimento interpessoal”, afirma.

A parentalidade, na opinião de Luci, ensina a virar uma certa chave para fazer com que as resoluções em torno de sua própria vida sejam encaminhadas de uma forma mais objetiva e clara. No artigo, ela mostra alguns exemplos de como foi que chegou a esta conclusão.

Entre eles está o aprendizado para lidar muito bem com todo tipo de sujeira – literalmente. “Toda vez que você encontra cocô pela casa, isso não choca ou desequilibra: você simplesmente aprende a manter a calma e lidar com a situação com jogo de cintura”, diz. E isso vale para qualquer situação na vida.

“Parentalidade é, de fato, a última oportunidade de descobrir e enfrentar suas mais profundas e aparentemente insolúveis questões”, afirma Luci. “Nossas dinâmicas de relacionamento e a qualidade de nossas emoções podem ser desconstruídas em uma série de padrões e crenças programadas. A parentalidade nos oferece momentos sem fim de práticas de novos padrões de engajamento. Isso significa que, se você cometeu erros na última interação que tiveram, não deve se preocupar: muito provavelmente você terá uma chance de se redimir antes mesmo do dia acabar!”

A prática da empatia e o real desejo de entendimento para descobrir o que está motivando seu filho a agir daquele jeito também é outra forma de perceber como a parentalidade ajuda a desenvolver valores tão necessários nos relacionamento pessoal e profissional.

“Não podemos esquecer as dezenas de mediações que você será obrigada a conduzir entre irmãos. Dessa maneira, nós sempre aprendemos a prestar atenção aos fatos e conseguir olhar para tudo de uma maneira mais objetiva, sem escolher nenhum dos lados”, diz Luci.

Ao se responsabilizar pela formação de uma ou mais crianças, naturalmente mais recursos se desenvolvem para lidar com o tempo e a energia. “Você vai aprender a ter mais foco nas ações prioritárias, que nos permite fazer mais com menos. Fazemos o que realmente importa e o resto cairá automaticamente no esquecimento”, afirma Luci.