16 de agosto 2017

O que é permacultura

permacultura
16 agosto 2017

O que é permacultura

Conjunto de práticas que criam um modo de vida sustentável e integrado com o meio ambiente pode ser adotado também nas grandes cidades
Texto por: Livia Deodato

A permacultura é um conjunto de práticas e um estilo de vida que busca suprir as necessidades do ser humano, como moradia, alimentação, energia e água, utilizando recursos naturais de forma sustentável. O termo é a contração de duas palavras em inglês, “permanent” e “agriculture”, ou seja, agricultura permanente ou sustentável. Foi criado em 1978 pelo naturalista Bill Mollison e pelo então estudante David Holmgren, que trabalhavam juntos em um curso de Design Ecológico na Tasmânia, Austrália.

Os dois visionários mostraram que é impossível ter uma sociedade permanente se a base de produção não for sustentável. Ou seja, o modo de obter alimentos, energia e construção tem de ser harmônico com os ecossistemas se quisermos continuar neste planeta por muito tempo. É trabalhar com a natureza, e não contra ela.

A ideia que surgiu na Austrália fez muito sucesso e hoje projetos de permacultura prosperam pelo mundo todo. Em sítios e ecovilas que adotaram o conjunto de práticas, tudo é pensado para integrar o meio ambiente e gerar o menor impacto possível. Muitos produzem o seu próprio alimento com hortas orgânicas, há sistemas para captação de água de chuva para irrigação e todo o lixo tem um destino ecológico. O orgânico vira adubo e embalagens são reutilizadas.  

As casas e edificações são feitas seguindo os conceitos da bioconstrução, técnica que utiliza materiais naturais como bambu, terra, palha e até objetos recicláveis, como garrafas de vidro e PETs, na construção das paredes e telhados.

A permacultura nos centros urbanos

É possível pensar em um sistema mais sustentável de vida também nos centros urbanos. “A permacultura pode ser uma ferramenta de sustentabilidade em qualquer ambiente”, afirma Marcelo Bueno, arquiteto e fundador do Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica (Ipema), no documentário “Utopia no quintal – Permacultura e Cidade”.

O filme mostra justamente práticas simples que podem ser adotadas por moradores de grandes centros urbanos e que geram um superimpacto ambiental. Dar preferência para alimentos orgânicos e de pequenos produtores, reduzir (e muito) a quantidade de lixo orgânico com o uso de composteiras, ter uma horta em casa, reutilizar materiais recicláveis, dar preferência para produtos biodegradáveis, entre outros. “O lixo orgânico vira composto, que vai para horta e vira alimento, que vai ter resíduo e voltar para a composteira e para a horta. Esse sistema é simples e independe do lugar onde acontece”, diz Marcelo Bueno. É só ter boa vontade.

No e-book “Introdução à Permacultura – Seja Responsável pela sua Própria Existência”, os autores do Instituto de Permacultura (Ipoema) falam sobre três princípios éticos que fundamentam todas as ações da permacultura:

  • Cuidado com o planeta: Estar e atuar nele de forma responsável, conservando a vida de todas as espécies, do solo, do ar e da água. Para garantir o equilíbrio dos processos naturais e trabalhar a favor da natureza, potencializando o aumento dos recursos que geram vida.

  • Cuidado com as pessoas: Ter respeito pleno por todos os seres vivos. Levar em consideração o bem-estar do indivíduo e cultivar relações saudáveis de amorosidade em comunidade.

  • Distribuição dos excedentes: Não acumular nem desperdiçar. Partilhar de forma justa entre as pessoas os recursos, a produção, o tempo e a energia do ambiente.