23 de novembro 2017

O medo de se relacionar

medo de se relacionar (1)
23 novembro 2017

O medo de se relacionar

O grande desafio que temos hoje é que não aprendemos a escolher ou a lidar com tantas possibilidades
Sobre o autor: Gustavo Tanaka

É escritor, empreendedor e facilitador de processos de autoconhecimento. Iniciador do Brotherhood, um movimento que desenha experiências de autoconhecimento para homens para criar uma nova visão de masculinidade.

Texto por: Gustavo Tanaka

É escritor, empreendedor e facilitador de processos de autoconhecimento. Iniciador do Brotherhood, um movimento que desenha experiências de autoconhecimento para homens para criar uma nova visão de masculinidade.

Lembro quando eu era criança.

Se queria ouvir uma música de que gostava, tinha que ficar ligado no rádio o dia todo.

E, se desse sorte, conseguiria ouvir aquela música, uma única vez.

Não tinha muitas opções de programas de televisão. Se eu gostasse do programa, tinha que esperar a semana toda para ver mais um episódio.

Vivíamos uma época em que não tínhamos muitas escolhas.

Praticamente fomos educados com a ideia de que não se pode escolher o que quiser.

E levamos isso para nossas profissões e nossos relacionamentos.

Muitas pessoas escolhem a carreira dos pais e se relacionam com pessoas que estudaram no colégio ou faculdade.

Mas hoje o mundo mudou.

A internet derrubou todas as barreiras. Ampliou nossas possibilidades.

E agora podemos assistir ao vídeo que quisermos, escutar qualquer música de qualquer estilo a qualquer hora. E podemos nos relacionar com qualquer tipo de pessoa. De qualquer lugar do mundo.

O grande desafio que temos hoje é que não aprendemos a escolher ou a lidar com tantas possibilidades. Como se nosso cérebro não tivesse sido treinado para isso.

Outro dia fui escolher um filme na Netflix e passei mais tempo navegando entre as opções do que assistindo ao filme.

E eu escrevo tudo isso para falar de relacionamentos.

Em um mundo com tantas possibilidades, é cada vez mais raro ver pessoas comprometidas com uma relação. Na primeira briga, já pulamos fora. Ao primeiro sinal de que a pessoa não atende a todos os nossos pré-requisitos, já abrimos o aplicativo de relacionamentos ou iniciamos uma conversa nas redes sociais.

Talvez, o grande desafio de hoje não seja o de escolher a melhor opção possível dentre o universo de infinitas possibilidades. O grande desafio é conseguir sustentar uma escolha e permanecer nela.

Ao permanecer, você enfrenta seus medos. Como quem entra no mar e enfrenta a arrebentação.

Depois da arrebentação vem a calma.

Depois dos medos iniciais, vem a paz.

E aí conseguimos entender por que nos apaixonamos e nos relacionamos com aquela pessoa especificamente.