25 de agosto 2017

Dicas para envelhecer bem

como envelhecer bem (1)
25 agosto 2017

Dicas para envelhecer bem

Manter bom humor e vida social é muito importante para alcançar a maturidade com saúde e bem-estar
Texto por: Livia Deodato

O número de idosos no Brasil com 80 anos ou mais deve ultrapassar 19 milhões em 2060. Isso significa um aumento 27 vezes maior se comparado ao número de idosos no ano de 1980, quando o país tinha menos de um milhão de pessoas nessa faixa etária. Chegar aos 80 anos, no entanto, pode ser uma árdua tarefa se não forem tomados certos cuidados ao longo da vida, a fim de manter uma boa saúde física e psicológica. É consenso entre os especialistas afirmar que para envelhecer bem é preciso ter uma boa alimentação, praticar exercícios físicos com regularidade e ter uma ocupação que faça bem para o espírito.

Para se alcançar e manter esse bem-estar ao longo da vida, exigem-se mudanças de comportamento. “O aumento da população idosa vem ocorrendo de forma muito rápida e progressiva, sem a correspondente modificação nas condições de vida. E mudanças de comportamento são fundamentais para acompanhar este aumento da longevidade”, afirma a fisioterapeuta Cristiana Carvalho Siqueira, pós-graduada em geriatria e gerontologia. Envelhecer não deve ser sinônimo de doença, inatividade e contração geral no desenvolvimento. Hoje há um aumento de iniciativas que propõem a melhora de hábitos de vida e consideram que o envelhecimento pode ser um processo positivo, pensado como um momento da vida de bem-estar e prazer.”

Ter um estilo de vida saudável, que inclui mudanças de hábitos alimentares e atividade física regular, é sem dúvida um dos caminhos mais certeiros para manter a saúde física e psicológica. “Naturalmente, ossos, tendões e músculos tendem a ficarem mais frágeis nesta etapa da vida e essa vulnerabilidade físico-funcional nos obriga, como profissionais da área de saúde, a estimular a prevenção de patologias e deficiências, tanto de ordem física quanto psíquica”, explica a fisioterapeuta.

Para envelhecer bem, viva o hoje

Acontece que a maior parte das pessoas vive preocupada com o trabalho e com a quantidade de dinheiro que está conseguindo acumular para poder “aproveitar a vida” quando envelhecer. Esses fatores são as principais causa da ansiedade, do estresse e da depressão, os grandes males atuais.

A Universidade de Harvard realiza um estudo, que já dura mais de 75 anos, em que se acompanha a vida de 724 homens ano após ano. Os pesquisadores investigaram temas como trabalho, família, vida doméstica e saúde. Chegaram à conclusão que o segredo para envelhecer bem é ter boas relações ao longo da vida. Isto é, mais do que ter a alimentação correta, praticar exercícios físicos com regularidade, evitar álcool, cigarro e outras drogas é importante ter qualidade em seus relacionamentos.

Robert Waldinger, o quarto diretor a supervisionar essa pesquisa, falou a respeito disso em um TEDx. “Aprendemos três grandes lições sobre relacionamentos. A primeira é que conexões sociais nos fazem realmente muito bem e a solidão mata. (...) A segunda é que isso não diz respeito ao número de amigos que você tem ou estar em um relacionamento com alguém: o que importa é a qualidade dessas relações. Viver num casamento turbulento faz muito mal à saúde e é ainda pior do que o divórcio. (...) As pessoas que mais estavam satisfeitas com seus relacionamentos aos 50 eram as mais saudáveis aos 80. (...) A terceira grande lição que aprendemos é que boas relações não apenas protegem nossos corpos como também protegem nossos cérebros. As pessoas que não se sentem seguras ao lado de outras e sentem que não podem contar com quem está próximo têm mais problemas de memória, por exemplo.”

Dicas práticas para envelhecer bem


Envelhecer bem depende mais dos hábitos adotados ao longo da vida do que da predisposição genética. Pesquisas mostram que problemas relacionados à genética equivalem a 30% dos casos, enquanto os outros 70% dizem respeito aos bons hábitos. Caminhar por, no mínimo, 30 minutos por dia é um modo de prevenir doenças futuras e trazer bem-estar físico imediato.

Inserir na rotina o hábito da leitura, de livro, revista, jornal ou artigos na internet, estimula o cérebro, que também precisa de “exercícios”. “Oferecer a possibilidade de renovação é algo fundamental, por isso ler e aprender é essencial”, afirma Gabriela Trindade, gerontóloga formada pela Universidade Federal de São Carlos.

A prática da meditação, que tem se tornado cada vez mais popular, também é uma ótima maneira de preparar o corpo, a mente e o espírito para o envelhecimento, segundo a gerontóloga. “Meditar é um caminho que nos ajuda a ter mais intimidade com nosso mundo interno, com a mente e nossas emoções. É  uma das melhores maneiras de fazer essas conexões se potencializar.” Silenciar durante 10 minutos por dia já fará toda a diferença na qualidade de vida a longo prazo – e ainda trará respostas para muitas de suas perguntas internas.

Esportes são sempre muito bem-vindos, porque além do exercício físico em si, que traz bem-estar ao corpo, estimula os encontros sociais que levam ao relaxamento. Se os esportes foram praticados ao ar livre, próximos à natureza, os benefícios são redobrados. Outra dica importante dada pela gerontóloga é preservar, ao máximo, a autonomia. “A autonomia e a capacidade de expressão são elementos primordiais e essenciais para qualquer indivíduo. Na velhice, novas abordagens são vividas e se sentir útil e atuante renova a certeza da importância do idoso na sociedade e para a sociedade”, afirma. Os idosos requerem cuidados, mas não é indicado cercear a autonomia deles. Eles precisam se sentir ativos e produtivos para que vivam bem não apenas na velhice, como também em todas as fases da vida.

Ter paz, manter o bom humor, o sono regular e um ecossistema favorável e estável também são fatores ligados à promoção da saúde. Autoestima, resiliência e fé (de qualquer tipo) também ajudarão a manter o corpo, a mente e o espírito ativos tanto para enfrentar adversidades, quanto para compartilhar felicidade. Envelhecer é ganhar sabedoria e só por isso esta etapa já deveria ser considerada a melhor fase da vida.