22 de dezembro 2017

Casa de Viver

Casa de viver
22 dezembro 2017

Casa de Viver

Coworking familiar permite que pais convivam com os filhos enquanto trabalham
Texto por: Livia Deodato

Trabalhar sem precisar ficar longe dos filhos é o sonho de muitos pais e mães. Foi para atender a esse desejo que as sócias Carina Borrego e Fernanda Torres criaram em 2015 a Casa de Viver, espaço onde os filhos brincam e são cuidados enquanto os pais trabalham, num conceito que chamaram de coworking familiar.

A casa, localizada na Vila Mariana, zona sul de São Paulo (SP), tem 380 metros quadrados e conta com três salas com postos de trabalho, sala para reuniões, internet, cozinha e jardim. As crianças se divertem e aprendem em um amplo espaço com brinquedos, um cantinho para soneca e um belo quintal para explorar. Sempre com a companhia de quatro cuidadoras profissionais, que se revezam no período da manhã e da tarde.

Para a fotógrafa Carol Esmanhoto, o projeto foi uma ótima solução para conciliar a vida profissional com os cuidados com o Theo, de quase dois anos. “Tentei durante um ano e meio trabalhar com ele em casa, mas era difícil, não rendia. Quando vim pra cá, foi um alívio”, conta. Ela trabalha em uma sala no primeira andar da casa enquanto o filho brinca com as cuidadoras e outras crianças no térreo.

O objetivo da Casa de Viver é oferecer um espaço acolhedor e funcional para trabalhar, cuidados e brincadeiras educativas para as crianças e uma rede de apoio para que pais e mães enfrentem juntos os desafios que envolvem o empreendedorismo e a criação de filhos.

Além do coworking, a casa tem uma programação com workshops, cursos e palestras, como o “Café com Mães Empreendedoras”, evento mensal para compartilhar ideias sobre empreendedorismo, roda de partilha sobre trabalho e maternidade, palestras e participação na Semana Mundial do Brincar. Todos os eventos contam com o serviço de cuidadoras para as crianças.
Coworking_Divulgação Casa de Viver

O valor mensal pago para ter um posto de trabalho mais os cuidados com a criança parte de cerca de R$ 600 (2 vezes por semana, meio período) a até quase R$ 1.600 (integral, de segunda a sexta). Para quem não tem filho e quiser apenas um espaço de coworking, o valor mensal gira em torno de R$ 600.

Maternidade e o mercado de trabalho

Conciliar a criação de filhos com a carreira é um desafio para homens e mulheres. Mas as mães são as que mais sofrem para se adaptar a um mercado que exige jornadas de trabalho e níveis de rendimentos inconciliáveis com a maternidade. É mais difícil especialmente nos primeiros anos de vida da criança.

Uma pesquisa feita pela empresa de recrutamento Robert Half com diretores de recursos humanos mostrou que, no Brasil, menos da metade das funcionárias retornava à vida profissional após o nascimento de seus filhos na maioria das empresas.

A Casa de Viver e o coworking familiar nascem como uma alternativa para pessoas que não querem mais escolher entre trabalhar e ver os filhos crescerem, e sim ter a possibilidade de fazer isso de forma integrada. O projeto está expandindo: o grupo começou em uma casa menor, mas há um ano mudaram para o atual local para atender a demanda crescente. Hoje tem capacidade para até 30 adultos e 30 crianças. As fundadoras já prestaram consultoria para pessoas que implantaram projetos semelhantes na capital e em outras cidades.